Governadores defendem cota extra de 300 mil vacinas para o Amazonas

Governadores defendem cota extra de 300 mil vacinas para o Amazonas

Em reunião na noite desta quinta-feira (21), o Fórum dos Governadores dos Estados Brasileiros defendeu a criação de uma cota extra de cerca de 300 mil doses de vacinas para o estado do Amazonas.

O estado, que vive um colapso em seu sistema de saúde, enfrenta uma escalada de novos casos da doença, com recordes e registros de infectados, de hospitalizações e de mortes em decorrência da doença.

As 300 mil doses equivalem a cerca de 5% do total de vacinas previstas em curto prazo, incluindo a Coronavac e a vacina de Oxford/AstraZeneca.

Ao todo, 2 milhões da vacina de Oxford/AstraZeneca devem chegar nesta sexta (22) após a Índia finalmente dar sinal verde à exportação. Outras 4,8 milhões da Coronavac, que já foram envasadas pelo Instituto Butantan, que aguarda a liberação da Anvisa.

A proposta dos governadores ainda será analisada pelo governo federal, a quem cabe decidir sobre a distribuição das vacinas.

O governador do Piauí, Wellington Dias (PT), que preside o Consórcio do Nordeste e lidera as negociações dos estados relacionadas à vacina, diz que a proposta foi aprovada pelos governadores tendo em vista a gravidade do cenário da pandemia no estado do Amazonas.

"A situação [do Amazonas] é grave, muito mais grave do que antes. E, pior: o vírus começa a se espalhar, já com presença forte na divisa com o estado do Pará", afirmou Dias.

O objetivo é atender Manaus e as cidades do interior do estado mais afetadas pelos novos casos da pandemia: "É uma ação não só humanitária, mas ela também é estratégica tecnicamente para evitar a propagação [da Covid-19]", afirmou.

Só na última quarta (20) foram confirmados 5.009 novos casos no Amazonas, sendo 3.632 na capital e 1.377 no interior.

Esse é o maior número registrado em um único dia desde o início da pandemia. Até então, o recorde havia sido registrado em 29 de maio, primeiro pico da pandemia: 2.763.

Essa escalada de diagnósticos de Covid-19 deve pressionar ainda mais os hospitais de Manaus, que já enfrentam crise de falta de leitos e de oxigênio, que vem provocando a morte de pacientes internados na capital e no interior do estado, relatam médicos e as próprias prefeituras.

Na capital, hospitais da rede pública estão superlotados e operam acima da capacidade, com pacientes internados em poltronas por falta de leitos e taxas de ocupação chegando a 111% entre os leitos clínicos e 96% na UTI Covid, segundo o boletim epidemiológico do governo amazonense.

Na rede privada, a taxa de ocupação é de 93% para os leitos de UTI Covid e 85%, entre os leitos clínicos. E, tanto na rede pública quanto na privada, a escassez de oxigênio tem levado os médicos a pedirem que os familiares dos pacientes levem cilindros com o insumo para garantir os tratamentos em caso de novas interrupções, que não estão descartadas.

A campanha de vacinação foi suspensa em Manaus nesta quinta por, pelo menos, 24 horas após denúncias de favorecimento na aplicação de vacinas contra Covid-19.

A Defensoria Pública do Amazonas recomendou a a reformulação do plano de vacinação dos profissionais de saúde em Manaus devido à "quantidade insuficiente de doses de vacina.

As vacinas disponibilizadas nesta primeira fase pelo Ministério da Saúde, que devem ser suficientes para imunizar apenas 34% dos 56 mil servidores da saúde nas redes estadual e municipal da capital.

Fonte: Bahia Notícias

Brumado registra 47 novos casos da Covid-19 em 24h

Brumado registra 47 novos casos da Covid-19 em 24h

Nesta quarta-feira (20), Brumado registrou 4.259 casos confirmados da Covid-19, o novo coronavírus. São 12.175 notificações. Entre os diagnósticos: 03 internações, 47 óbitos, 274 pacientes em tratamento e 3.938 recuperados. No momento, 86 ainda aguardam resultado laboratorial e 7.170 foram descartados. As notificações suspeitas abrangem pacientes com quadros de síndromes gripais diversas, dentre os quais alguns se encaixam nos critérios para realização do exame RT-PCR ou via teste rápido. Estes últimos estão sendo usados de forma criteriosa, em casos excepcionais, como estratégia para ampliar e tornar mais eficaz o enfrentamento à pandemia no município.

Fonte: Agora Sudoeste

Índia começará exportação de vacina de Oxford para o Brasil na sexta

Índia começará exportação de vacina de Oxford para o Brasil na sexta

O governo da Índia autorizou a exportação de vacinas contra Covid-19. Com isso, as primeiras doses devem ser enviadas ao Brasil na sexta-feira (20), informou o secretário de Relações Exteriores indiano à agência Reuters.

Adquiridas pelo governo brasileiro, as vacinas produzidas pela farmacêutica britânica AstraZeneca e pela Universidade de Oxford estão sendo fabricadas no Serum Institute, na Índia, o maior produtor mundial de vacinas, que recebeu pedidos de países de todo o mundo.

A exportação de doses havia sido proibida pelo governo indiano até que o país iniciasse seu próprio programa de imunização, no fim de semana passado.

“O fornecimento das quantidades cmercialmente contratadas também começará a partir de amanhã (sexta), começando por Brasil e Marrocos, seguidos de África do Sul e Arábia Saudita”, afirmou o secretário de Relações Exteriores indiano Harsh Vardhan Shringla.

No início desta semana, o país enviou carregamentos gratuitos para países vizinhos, incluindo Butão, Maldivas, Bangladesh e Nepal.

Fonte: Bahia Notícias

Em meio a suspeitas de empresários que 'furaram fila', vacinação é suspensa no AM

Em meio a suspeitas de empresários que 'furaram fila', vacinação é suspensa no AM

Em meio às investigações do Ministério Público do Amazonas sobre suspeita de irregularidades na vacinação contra a Covid-19, o estado suspendeu a imunização nesta quinta-feira (21).

De acordo com o G1, as denúncias dão conta de que empresários locais estariam "furando fila" para receber as doses do imunizante. Isso porque parentes desses empresários postaram fotos sendo vacinados.

O prefeito da capital, David Almeida, afirmou que proibirá imagens de pessoas sendo vacinadas, mesmo afirmando não haver irregularidade.

O governo local afirma que haverá um replanejamento da campanha no período de suspensão, para discutir quais profissionais de saúde e de quais unidades terão prioridade para receber as primeiras doses. Os únicos que ainda estão recebendo a vacina são aqueles que atuam no Samu.

Com a definição dos critérios, o próximo passo é a criação da lista nominal de profissionais pelas unidades de saúde, com informações sobre o setor de cada um, para que a Secretaria de Saúde da capital amazonense reprograme a imunização. O intuito é retomar os trabalhos nesta sexta-feira (22).

Todo esse processo ocorre porque as vacinas disponibilizadas pelo governo federal não são suficientes para atender toda a população prioritária.

Em reunião na noite desta quarta (20), representantes do Ministério Público Estadual, do Ministério Público Federal, da Defensoria Pública Estadual, da Defensoria Pública da União e do Ministério Público do Trabalho definiram que quem trabalha em unidade de referência de média e alta complexidade e possui contato direto com pacientes infectados devem ser prioridade.

A segunda dose para profissionais que foram vacinados até esta quarta também está garantida. De acordo com a secretária municipal da Saúde, Shádia Fraxe, foram 50 equipes de vacinação, com 200 profissionais, disponibilizadas pela prefeitura.

Ao todo, 1.140 profissionais receberam a dose inicial da CoronaVac até o momento, informa a prefeitura de Manaus. O órgão disponibiliza de 40.072 doses.

Com mais de 238 mil casos e 6,5 mil mortes causadas pelo novo coronavírus, o Amazonas vem enfrentando nos últimos dias um colapso no sistema de saúde por falta de oxigênio nos hospitais. 

Fonte: Bahia Notícias

Pfizer começa a imunizar 1,4 mil voluntários que tomaram placebo em teste no Brasil

Pfizer começa a imunizar 1,4 mil voluntários que tomaram placebo em teste no Brasil

Os voluntários brasileiros dos estudos clínicos da vacina contra a Covid-19 da Pfizer/BioNTech que receberam placebo começarão a ser imunizados pela empresa. A própria farmacêutica americana anunciou a informação, nesta quarta-feira (20).

De acordo com a Pfizer, ainda neste mês mais de 1,4 mil voluntários que receberam placebo durante os testes serão imunizados.

Em comunicado, a companhia informou que participantes do estudo em São Paulo (SP) e Salvador (BA) vão receber gratuitamente duas doses do imunizante.

A vacina da Pfizer foi a primeira a ser aprovada para uso emergencial no mundo entre os principais laboratórios ocidentais e está sendo usada desde o ano passado para imunizar pessoas em países como Reino Unido e Estados Unidos.

Nesta quinta-feira (21), o secretário da Saúde da Bahia, Fábio Vilas-Boas, inflamou contra a farmacêutica. Ele reclamou da postura da Pfizer, que, segundo ele, decidiu não vender doses de seu imunizante para o governo baiano. "A Pfizer usou a boa fé de 1.500 voluntários baianos no desenvolvimento da sua vacina Covid-19 e agora recusa-se a vender vacina para a Bahia", compartilhou, em postagem feita no Twitter.

Em outra postagem, ele disse que a empresa se reuniu com o governador Rui Costa (PT) no ano passado, com o objetivo de vender doses da vacina, e a gestão se preparou. "Apoiamos o centro de pesquisas da OSID (Irmã Dulce), investimos na montagem de uma rede de ultracongeladores e, agora, nos informam que venderam tudo pra outros países", reclamou o secretário. A parceria firmada pelas empresas com o governo baiano não previa aquisição de doses.

A Pfizer ainda não tem autorização para uso emergencial do imunizante contra a Covid-19 no Brasil. Mas informou que a vacinação dos voluntários está prevista no acordo feito junto ao órgão regulador e faz parte do termo de consentimento assinado pelos participantes no início da pesquisa. Em 31 de dezembro, a vacina foi aprovada em uso emergencial pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Fonte: Bahia Notícias

Mistério: servidor que roubou vacinas foi encontrado morto logo depois

Mistério: servidor que roubou vacinas foi encontrado morto logo depois

Nesta quarta-feira (20) a Polícia Militar foi acionada pela responsável pelo setor de insumos da 20ª Dires, em Conquista, onde conforme a solicitante, houve uma nítida diminuição na pilha de seringas que estavam alocadas na sala de armazenagem. Diante dos fatos, foi intensificado o policiamento no local e no presente dia os policiais militares perceberam a movimentação suspeita de um funcionário. Ao questionar sobre a movimentação, foi informada a saída do referido funcionário em veículo oficial com destino informado como Hospital Geral de Vitória da Conquista, entretanto, foi feito o acompanhamento e percebeu-se que o indivíduo passou em sua casa, deixando isopores. No local, a esposa e um amigo do autor tentavam retirar o produto do furto através de um veículo VW-Parati. Foi feita abordagem nos envolvidos e diante dos fatos foram conduzidos à delegacia, juntamente com todo material apreendido.
Durante a apresentação, o advogado do autor, ao tentar manter contato com o cliente na custódia da delegacia, percebeu que ele foi encontrado morto com sinais de enforcamento.

MATERIAL APREENDIDO
 15 caixas de seringa com 500 unidades cada;
 01 caixa de seringa com 800 unidades;
 370 seringas avulsas;
 07 caixas de isopor
 02 caixas de luvas descartáveis com 100 unidades cada;
13 caixas de preservativos com 144 unidades cada.

Fonte: Brumado Urgente

Fábrica de vacinas da Oxford/Astrazeneca na Índia é atingida por incêndio

Fábrica de vacinas da Oxford/Astrazeneca na Índia é atingida por incêndio

O Instituto Serum, fábrica indiana responsável pela produção da vacina contra a Covid-19 desenvolvida pela universidade de Oxford/Astrazeneca, foi atingida por um incêndio. De acordo com informações da imprensa local o fogo não afetou os imunizantes.

Reportagem do portal Uol indica que ainda não há informações sobre vítimas.

Inicialmente o que se sabe é que o incêndio atingiu dois andares do Terminal 1, onde está sendo construída uma nova fábrica. 

O Corpo de Bombeiros está no local para o controlar o fogo.

O Brasil está tentando importar 2 milhões de doses da vacina produzida no Instituto Serum. A Anvisa aprovou o uso emergencial do imunizante no último domingo (17). 

Na semana passada, o governo federal preparou um avião para buscar esses imunizantes, mas o governo indiano não liberou as doses, sob argumento de que só faria isso após início da vacinação no país, que ocorreu no sábaod (16). 

Nesta semana, a Índia anunciou que ia começar a exportação de vacinas, mas não colocou o Brasil entre as prioridades.

Fonte: Bahia Notícias

Fiocruz diz que só deve entregar primeiras doses da vacina em março

Fiocruz diz que só deve entregar primeiras doses da vacina em março

A Fiocruz prevê que só deve entregar no início de março as primeiras doses da vacina de Oxford/AstraZeneca produzidas no Brasil, já que a chegada de insumos da China atrasou. A promessa anterior, feita no final de dezembro, era concluir o primeiro lote do imunizante por volta de 8 de fevereiro.

O novo cronograma consta em um ofício da fundação encaminhado nesta terça-feira (19) ao Ministério Público Federal (MPF), que desde dezembro acompanha as estratégias de vacinação contra a doença. A informação foi adiantada pelo jornal "Estado de S. Paulo" e confirmada pelo MPF à Folha.

O documento, assinado pelo diretor do Instituto Bio-Manguinhos, Mauricio Zuma Medeiros, foi uma resposta a um ofício do órgão que questionava sobre as datas de entrega das 2 milhões de doses prontas que serão trazidas da Índia e da outra parcela que será processada no Brasil pela Fiocruz.

Segundo a Folha, a previsão da fundação é que o IFA (ingrediente farmacêutico ativo) —material necessário para fazer a vacina produzido por uma parceira da AstraZeneca na China— chegue no próximo sábado (23), mas ainda é necessária confirmação. A importação, que inicialmente estava prevista para dezembro, depende da liberação do país asiático.

A Fiocruz diz que ainda será preciso mais de um mês para o fornecimento das vacinas, já que, depois de produzidas com o IFA, as doses ainda terão que passar por testes de qualidade. Estima-se que esses testes levem 17 dias, somados a mais 2 dias de análise pelo INCQS (Instituto Nacional de Controle da Qualidade em Saúde)?.

Isso se o insumo chegar no dia previsto e o produto tiver resultados satisfatórios no controle de qualidade. Caso contrário, o prazo pode se esticar.?

Fonte: Bahia Notícias

Nova cepa encontrada no AM pode ser mais infecciosa e letal entre jovens

Nova cepa encontrada no AM pode ser mais infecciosa e letal entre jovens

A nova cepa da Covid-19 descoberta no Amazonas pode ser mais infecciosa e mais letal entre os jovens, de acordo com informações do UOL. Profissionais de saúde que trabalham na linha de frente em Manaus já começaram a apontar uma maior gravidade dos casos e o avanço nas contaminações em menos tempo do que na primeira onda. Dados oficiais divulgados pelo governo do Amazonas mostram que pessoas mais jovens estão morrendo. Nos últimos 30 dias, em cada dez vítimas fatais, quatro tinham menos de 60 anos. Segundo o infectologista e pesquisador Noaldo Lucena, em entrevista ao UOL, a situação do novo coronavírus em Manaus está diferente do que registrado anteriomente. “Claramente estamos diante de um ser invisível que é muito mais patogênico e transmissível. Hoje chegam famílias inteiras com os sintomas ao mesmo tempo, antes era um de cada vez”, disse. De acordo com ele, os exames em pacientes já apontam lesões mais graves no pulmão. A maior parte das pessoas atendidas por ele apenas nos primeiros 19 dias do ano apresentavam comprometimento do órgão acima de 50%. Em alguns casos, o paciente chegava a 90% com necessidade de internação imediata. Ainda de acordo com Lucena, apesar da gravidade nos casos, nem todos os pacientes apresentam sintomas. Em alguns casos, apenas com exames clínicos é possível notar a gravidade da situação. “Quando vemos a imagem tomográfica, não acredita como há um comprometimento tão grande com tão pouca repercussão clínica notória”, pontuou.

Fonte: Brumado Urgente

Brumado registra 22 casos da Covid-19 em 24h

Brumado registra 22 casos da Covid-19 em 24h

Nesta segunda-feira (18), Brumado registrou 4.187 casos confirmados da Covid-19, o novo coronavírus. São 12.093 notificações. Entre os diagnósticos: 03 internações, 46 óbitos, 249 pacientes em tratamento e 3.892 recuperados. No momento, 120 ainda aguardam resultado laboratorial e 7.116 foram descartados. As notificações suspeitas abrangem pacientes com quadros de síndromes gripais diversas, dentre os quais alguns se encaixam nos critérios para realização do exame RT-PCR ou via teste rápido. Estes últimos estão sendo usados de forma criteriosa, em casos excepcionais, como estratégia para ampliar e tornar mais eficaz o enfrentamento à pandemia no município.

Fonte: Agora Sudoeste

Brumado recebe 627 doses da Vacina contra o Coronavírus

Brumado recebe 627 doses da Vacina contra o Coronavírus

A tão esperada vacina contra a Covid-19 já está em solo baiano. As 376.600 doses da Coronovac – imunizante desenvolvido pelo Instituto Butantan, em parceria com a empresa chinesa Sinovac Biotech – chegaram em voo comercial ao Aeroporto de Salvador, às 22h20 desta segunda-feira (18). O município de Brumado recebeu na manhã desta terça-feira (19) 627 doses. A secretaria de Saúde deve divulgar o plano de vacinação na Capital do Minério ainda hoje, mas deve priorizar os profissionais de saúde e público prioritário.

Fonte: Agora Sudoeste

Nova doença pode gerar pandemia mais letal que Covid-19, alerta especialista

Nova doença pode gerar pandemia mais letal que Covid-19, alerta especialista

O microbiologista congolês Jean-Jacques Muyembe Tamfum, alertou para uma nova pandemia que pode ser mais letal que a Covid-19. Para a CNN, o especialista contou sobre o caso de uma paciente que apresentava sintomas da ebola, mas exames deram negativo para a doença. O cientista, que é um dos médicos que ajudou a descobrir o vírus ebola, no Congo, em 1976, teme que essa seja uma “doença X”, um conceito da Organização Mundial da Saúde (OMS) para alguma efermidade inesperada ou desconhecida que ainda pode aparecer. Tamfum acredita que um novo patógeno seguirá o mesmo padrão de transmissão de outras doenças, passando de animais para seres humanos. “Estamos agora em um mundo onde novos patógenos surgirão. E é isso que constitui uma ameaça à humanidade”, afirmou o pesquisador à CNN.

Fonte: 97news

Mundo já tem 40 milhões de pessoas vacinadas contra a Covid-19; Brasil tem 112

Mundo já tem 40 milhões de pessoas vacinadas contra a Covid-19; Brasil tem 112

O mundo já possui 40 milhões de pessoas vacinadas contra a Covid-19. Nesta segunda-feira (18), o Brasil aparece pela primeira vez no balanço realizado pela plataforma "Our World in Data", da Universidade de Oxford, com 112 imunizações. As informações são do Uol. 

A vacinação começou neste domingo (17) no país, após a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovar o uso emergencial da CoronaVac, produzida pelo Instituto Butantan em parceria com a Sinovac, e do imunizante da AstraZeneca, produzido pela Universidade de Oxford e pela Fiocruz.

Quem lidera o ranking de pessoas imunizadas são os Estados Unidos (EUA), com 12,28 milhões de doses aplicadas. China (10 milhões), Reino Unido (4,31 milhões), Israel (2,43 milhões) e Emirados Árabes Unidos (1,88 milhão) aparecem na sequência. Proporcionalmente, a primeira colocação é de Israel, que já chegou a 20% de sua população vacinada.

O governo de São Paulo iniciou o plano de imunização neste domingo, sendo a enfermeira Mônica Calazans, 54, a primeira a receber a dose da CoronaVac.

De acordo com o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, a aplicação de doses em outros estados do Brasil deve começar ainda nesta segunda (veja aqui). Isso ocorre devido à pressão dos governadores, já que o Plano Nacional de Imunização (PNI) estava previsto para ser iniciado na quarta-feira (20). 

Fonte: Bahia Notícias

Vacinação contra Covid-19 na Bahia deve durar 16 meses, estima Fábio Vilas-Boas

Vacinação contra Covid-19 na Bahia deve durar 16 meses, estima Fábio Vilas-Boas

Com previsão de início para até quarta-feira (20), a vacinação contra Covid-19 na Bahia deve levar um ano e quatro meses. Este é o prazo para imunizar toda a população contra a doença, estima o secretário estadual de Saúde, Fábio Vilas-Boas.  “A vacinação dos grupos considerados prioritários deve ser concluída em quatro meses. A partir do quinto mês, está liberada vacinação dos grupos não prioritários, que deve durar 12 meses”, explicou Vilas-Boas em entrevista nesta segunda-feira (18) a impresa baiana.

Fonte: 97news

Governo Federal inicia a distribuição da vacina

Governo Federal inicia a distribuição da vacina

O Ministério da Saúde iniciou, nesta segunda-feira (18), a distribuição da vacina contra a Covid-19. No Centro de Logística da pasta, em Guarulhos, o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, se reuniu com governadores e disse que a distribuição será feita de maneira proporcional a cada região brasileira. O ministro afirmou que a vacinação pode começar ainda nesta segunda-feira (18). "A gente distribui tudo hoje (18), e a vacinação começa hoje ao final do dia", reforçou. "Tudo isso demonstra o trabalho em conjunto, tudo isso demonstra a nossa lealdade federativa. No que depender do Governo Federal e do Ministério da Saúde, nós vamos cumprir rigorosamente o que for combinado. Em nome da nossa ética, em nome da nossa palavra”, afirmou. Ao todo, são seis milhões de doses desenvolvidas pela farmacêutica Sinovac em parceria com o Instituto Butantan. A distribuição conta com uma frota de 100 caminhões com áreas de carga refrigeradas, com sistema de rastreamento e bloqueio via satélite. Além disso, o Ministério da Saúde tem o apoio da Associação Brasileira de Empresas Aéreas por meio das companhias aéreas Azul, Gol, Latam e Voepass, para transporte gratuito da vacina às unidades federadas do país que necessitam do transporte aéreo. O Ministério da Defesa contribuirá com a distribuição da vacina para os municípios.

Fonte: Agora Sudoeste