Emprego cresce na indústria em um movimento atípico para dezembro

Emprego cresce na indústria em um movimento atípico para dezembro

A pesquisa Sondagem Industrial mostra que, pela primeira vez em dez anos, houve aumento de emprego no mês de dezembro. De acordo com o estudo da Confederação Nacional da Indústria (CNI), divulgado nesta quinta-feira (21), o índice de evolução do número de empregados ficou em 50,5 pontos, acima da linha divisória de 50 pontos, demonstrando crescimento do emprego.

Segundo a Agência Brasil, a atividade industrial encerrou o ano relativamente forte, embora os sinais de desaceleração já possam ser percebidos. Segundo a pesquisa, produção industrial caiu em dezembro de 2020, quebrando uma sequência de seis meses consecutivos de crescimento.

O índice de evolução da produção ficou em 46,8 pontos, abaixo da linha divisória de 50 pontos, ou seja, reflete queda da produção na comparação com o mês anterior. Os estoques continuam abaixo do planejado e, segundo a CNI, o problema de escassez de insumos, que já havia ganho importância inédita no terceiro trimestre do ano passado, preocupou ainda mais os empresários.

Por outro lado, a utilização da capacidade instalada é a maior desde 2013 para o mês, as expectativas seguem otimistas e a intenção de investimento aumentou. Todos os índices de expectativas estão acima da linha divisória de 50 pontos. “Isso indica que os empresários seguem com expectativa de crescimento nos próximos seis meses da demanda, da quantidade exportada, do número de empregados e da compra de matérias-primas”, explicou a CNI, em comunicado.

A Sondagem Industrial é uma pesquisa de opinião empresarial, mensal, que apresenta a tendência da atividade industrial e as expectativas dos empresários. É elaborada em parceria com 25 federações de indústria e gera resultados por porte de empresa, regiões geográficas e setores de atividades das indústrias extrativa e de transformação.

Para esta edição, foram entrevistadas 1.887 empresas, sendo 741 de pequeno porte, 669 de médio porte e 477 grandes empresas, entre 4 e 15 de janeiro. A pesquisa Sondagem Industrial completa está disponível na página da CNI.

Fonte: Bahia Notícias

Pedido de afastamento de Pazuello da Saúde é negado por Lewandowski

Pedido de afastamento de Pazuello da Saúde é negado por Lewandowski

O ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), negou o pedido feito pelo Rede Sustentabilidade para afastar o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, do cargo. "Com relação à pretensão de afastamento do Ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, anoto que compete privativamente ao Presidente da República, nos termos do art. 84, I, do texto constitucional 'nomear e exonerar os Ministros de Estado', falecendo autoridade a esta Suprema Corte para fazê-lo", justificou o ministro.

O pedido veio em meio à crise de fornecimento de oxigênio nos hospitais do Amazonas, que deixou inúmeros pacientes da Covid-19 em estado grave sem acesso ao recurso. Para o Rede, isso corresponde a "grave violação aos direitos humanos em razão da omissão das autoridades, principalmente federais, que sabiam da iminente falta de oxigênio, mas nada fizeram". 

O partido solicitou que o ministro do STF obrigasse a União a apresentar informações, principalmente sobre a região Norte, a respeito do estoque de oxigênio no país. Além disso, pediu que fosse concebido um plano de atuação pelo governo federal.

Entretanto, na análise de Lewandowski, os pedidos do Rede estrapolam o que tinha sido requerido inicialmente - o estoque de seringas e agulhas para efetuar a imunização da população contra o coronavírus. 

Fonte: Bahia Notícias

Petrobras reajusta gasolina em 7,6% a partir da terça (19)

Petrobras reajusta gasolina em 7,6% a partir da terça (19)

A partir desta terça-feira (19), o preço médio do litro da gasolina vendida pela Petrobras em suas refinarias vai passar de R$ 1,84 para R$ 1,98, o que representa uma alta de 7,6% (R$ 0,15, em média).  De acordo com informações do Estadão conteúdo, a empresa tem sido criticada por um grupo de concorrentes reunido na Associação Brasileira de Importadores de Combustíveis (Abicom), que recorreu ao Cade acusando a empresa de praticar valores abaixo da paridade internacional e, com isso, impedir a competição no mercado interno.

Fonte: Agora Sudoeste

CAIXA inicia pagamento do abono salarial para trabalhadores nascidos em janeiro e fevereiro

CAIXA inicia pagamento do abono salarial para trabalhadores nascidos em janeiro e fevereiro

A CAIXA inicia nesta terça-feira (19/01) o pagamento do Abono Salarial calendário 2020/2021 para os trabalhadores nascidos em janeiro e fevereiro. Os beneficiários que não possuem nenhum outro tipo de conta corrente ou poupança na CAIXA receberão pela Conta Poupança Social Digital. Mais de 3,4 milhões trabalhadores aniversariantes em janeiro e fevereiro têm direito ao saque do benefício, totalizando mais de R$ 2,75 bilhões em recursos disponibilizados. As contas digitais foram abertas de forma automática e gratuita pela CAIXA para os trabalhadores receberem o benefício, sem a necessidade de apresentação de documentos e comparecimento à agência, permitindo a movimentação dos recursos por meio do aplicativo CAIXA Tem. Para quem já tem conta na CAIXA, nada muda. Os créditos serão realizados nas contas existentes e os valores poderão ser movimentados com a utilização do cartão da conta ou ainda pelo Internet Banking CAIXA e pelo App da CAIXA. Nos casos em que o valor do Abono Salarial não possa ser creditado em conta existente ou em Conta Poupança Social Digital, o trabalhador poderá realizar o saque com o Cartão do Cidadão e senha nos terminais de autoatendimento, unidades lotéricas e nos Correspondentes CAIXA Aqui, bem como nas agências.

Fonte: Agora Sudoeste

Fim da produção automotiva na BA pode gerar perda de R$ 5 bilhões por ano, aponta SEI-BA

Fim da produção automotiva na BA pode gerar perda de R$ 5 bilhões por ano, aponta SEI-BA

Responsável por alimentar o governo estadual com informações que contribuam para o planejamento das ações públicas, a Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI-BA) ressalta que vinha analisando os impactos da saída da Ford do Brasil mesmo antes da empresa anunciar a medida na última segunda-feira (11). Em 2019, eles produziram um relatório, estimando os desdobramentos desse eventual fechamento na economia do estado, já que uma das fábricas da montadora fica em Camaçari, na Região Metropolitana de Salvador (RMS).

“A produção da indústria automotiva na Bahia representa 2,1% de todo valor bruto da produção do estado e emprega, segundo a Rais [Relação Anual de Informações Sociais], 8 mil trabalhadores. Utilizamos a matriz insumo-produto para estimar os impactos e os resultados mostram que eliminação de todo o setor tem potencial para reduzir a riqueza gerada no estado, o Valor Adicionado, em 2% ao ano, algo em torno de R$ 5 bilhões. Em termos de emprego, as estimativas divergem a depender do método empregado variando entre 21 mil e 60 mil empregos encerrados em diversos setores da economia baiana”, estima a SEI-BA, representada pelo diretor de Indicadores e Estatística, Armando Castro, em entrevista ao Bahia Notícias.

A superintendência aponta que, somado a esse problema, o panorama da economia baiana já não se encontra em um de seus melhores momentos diante da retração das atividades produtivas e dos postos de emprego. Com isso, a avaliação geral é de que "o ritmo de qualquer recuperação do emprego e da renda se encontra incerto". "Nesse contexto, o segmento automotivo baiano já vinha dispondo de uma dinâmica com mais desligamentos do que admissões nos últimos anos – sinalizando, assim, dificuldades em empreender um ritmo de recomposição", pontua Castro.

Por e-mail, ele ainda abordou o impacto do fim do auxílio emergencial em meio à segunda onda da Covid-19 e a relevância da parceria comercial com a China e outros países asiáticos no atual cenário de crise. 

Fonte: Bahia Notícias

Governo aumentou imposto sobre cilindro de oxigênio três semanas antes de colapso no AM

Governo aumentou imposto sobre cilindro de oxigênio três semanas antes de colapso no AM

O governo Jair Bolsonaro (sem partido) elevou a tarifa de importação de cilindros usados para armazenamento de gases medicinais no fim do ano passado --poucos dias antes de o sistema de saúde de Manaus (AM) entrar em colapso por falta de oxigênio.

Em março de 2020, início da pandemia do coronavírus, a alíquota do imposto de importação foi zerada para esses produtos e demais itens hospitalares, como parte da estratégia de enfrentamento da Covid-19.

Porém, em decisão do Comitê-Executivo de Gestão (Gecex) da Câmara de Comércio Exterior (Camex), do dia 24 de dezembro, o governo acabou com a isenção da cobrança para parte dessa lista de bens usados em hospitais. Assim, a importação de cilindros de ferro voltou a ser taxada em 14% e os de alumínio, em 16%.

Na prática, isso torna a entrada dos recipientes de armazenamento de gases medicinais no país mais cara.

A Camex é ligada ao Ministério da Economia e responsável por fixar e alterar alíquotas do imposto de importação.

Procurado, o Ministério da Economia disse que a Camex "delibera com base nas recomendações do Ministério da Saúde, que é autoridade finalística sobre o assunto no âmbito do governo federal". O Ministério da Saúde não havia respondido até a última atualização deste texto.

No mesmo ato, a Camex também retirou a isenção do imposto de importação para outros produtos usados na área de saúde, embora o número de casos e de mortes por Covid-19 tenha voltado a subir desde o fim do ano passado.

Perderam o benefício: sabão medicinal, desinfetante para dispositivos médicos, saco de eliminação de resíduos de risco biológico, cortinas estéreis usadas em salas de cirurgias, torniquete para coleta de sangue, máscaras, luvas, bomba de ar elétrica, gazes, compressas, filtro de ventiladores médicos, partes de aparelhos de monitoramento de sinais vitais, sensores de oxigênio, entre outros produtos.

A alíquota do imposto de importação para todos esses itens também deixou de ser zero a partir do fim do ano passado.

Apesar de não renovar a isenção tarifária de produtos considerados essenciais para o enfrentamento da crise sanitária, o presidente concedeu uma série de benesses a setores da sua base de apoio ao longo da pandemia.

Em outubro, Bolsonaro anunciou um corte de imposto sobre videogames. A tarifa de importação para esses produtos já havia sofrido redução no ano anterior. A nova iniciativa baixou a alíquota de 32% para 22% para partes acessórios de consoles e de 16% para 6% no caso de máquinas de jogos com tela incorporada. O impacto é estimado em R$ 36 milhões neste ano e R$ 39 milhões em 2022.

No mês seguinte, foi a vez de uma redução das tarifas de importação de brinquedos. A medida foi criticada por empresários do setor, que temem uma perda de competitividade do Brasil em relação à China.

Em dezembro, o presidente anunciou que o governo decidiu zerar a tarifa de importação sobre armas de fogo, como revólveres e pistolas. Sobre a decisão, o ministro Paulo Guedes (Economia) afirmou que o custo anual da medida, de R$ 200 milhões, é baixo e não viola as ações da pasta, mas reconheceu que a isenção concedida em meio à pandemia gerou ruídos.

"O momento dá interpretações infelizes, sim. Você fala 'pô, na hora que estão precisando de vacina, você está facilitando arma'", disse na ocasião.

Fonte: Bahia Notícias

Greve dos caminhoneiros está prevista para 1º de fevereiro, diz presidente da ANTB

Greve dos caminhoneiros está prevista para 1º de fevereiro, diz presidente da ANTB

De acordo com o presidente da Associação Nacional do Transporte Autônomos do Brasil (ANTB), José Roberto Stringasci, a greve dos caminhoneiros, que está prevista para acontecer no próximo dia 1º de fevereiro, vem acumulando adesões e poderá ser maior do que a realizada em 2018. Os trabalhadores estão cada vez mais insatisfeitos, principalmente acerca do preço do diesel e das promessas não cumpridas após a histórica greve no governo Temer.

As dúvidas sobre a paralisação ocorrer durante a pandemia foram sanadas após a declaração do presidente da Associação em entrevista ao Broadcast, na qual afirma não ver problema em realizar uma greve nesse período. Vale ressaltar que a ANTB representa cerca de 4,5 mil caminhoneiros, segundo a BP Money.

“A pandemia nunca foi problema. A categoria trabalhou para cima e para baixo durante a pandemia. Muitos caminhoneiros ficaram com fome na estrada com os restaurantes fechados, mas nunca parou”, afirma Stringasci.

O porta-voz da categoria destaca que a alta do preço do diesel é o principal motivador da greve, mas conquistas obtidas na paralisação de 2018, que chegou a prejudicar o abastecimento em várias cidades, também estão na lista de dez itens que estão sendo reivindicados ao governo para evitar a greve.

“Esse (diesel) é o principal ponto, porque o sócio majoritário do transporte nacional rodoviário é o combustível (50% a 60% do valor da viagem) Queremos uma mudança na política de preço dos combustíveis”, informa.

“Eu creio que a greve pode ser igual a 2018. A população está aderindo bem, os pequenos produtores da agricultura familiar também. Se não for igual, eu creio que vai ser bem mais forte do que 2018”, alerta.

Fonte: Bahia Notícias

MPF abre procedimento para acompanhar impactos causados pela saída da Ford do Brasil

MPF abre procedimento para acompanhar impactos causados pela saída da Ford do Brasil

Ministério Público Federal, através da Câmara de Consumidor e Ordem Econômica do Ministério Público Federal (3CCR/MPF) instaurou procedimento administrativo para acompanhar os impactos socioeconômicos e concorrenciais do fechamento de fábricas de automóveis no país. A medida foi tomada depois do anúncio feito pela empresa Ford, na última segunda-feira (11), de encerramento da produção de veículos em suas fábricas no Brasil, situadas nos municípios de Camaçari (BA), Taubaté (SP) e Horizonte (CE). Na avaliação do coordenador da 3CCR, supbrocurador-geral da República Luiz Augusto Santos, o fim das atividades de fabricação de veículos no Brasil pode gerar prejuízos ao setor industrial, com impactos “capazes de provocar a redução dos níveis de renda e emprego nacionais, afetando negativamente a economia, além da potencial repercussão no nível concorrencial do mercado de veículos”. O procedimento administrativo visa a coleta, sistematização e tratamento de dados ou informações técnico-jurídicas voltadas a subsidiar eventuais medidas no âmbito do MPF.

Fonte: 97news

Greve dos caminhoneiros este ano pode ser maior que em 2018; diz associação

Greve dos caminhoneiros este ano pode ser maior que em 2018; diz associação

Desde o final de 2020, especula-se que há uma greve dos caminhoneiros prevista para acontecer no próximo dia 1º de fevereiro. Segundo informações do Estadão Conteúdo, o presidente da Associação Nacional do Transporte Autônomos do Brasil (ANTB), José Roberto Stringasci, estima que pelo número de adesões até o momento, esta paralização poderá ser maior do que a realizada em 2018, devido ao grau crescente de insatisfação da categoria, principalmente em relação ao preço do diesel e às promessas não cumpridas após a greve no governo Temer. Integrante do Conselho Nacional do Transporte Rodoviário de Cargas (CNTRC), que na semana passada já alertou para a possibilidade de uma paralisação nacional, a ANTB representa cerca de 4,5 mil caminhoneiros, e não vê problema de realizar uma greve em plena pandemia.

Fonte: Agora Sudoeste

Terreno desmatado em área de proteção ambiental em Ibicoara equivalente a 7 campos de futebol

Terreno desmatado em área de proteção ambiental em Ibicoara equivalente a 7 campos de futebol

Segundo informações da Secretaria de Meio Ambiente e da Companhia Independente de Polícia e Proteção Ambiental de Ibicoara, na Chapada Diamantina, um terreno desmatado de cerca de sete hectares, o que equivale a sete campos de futebol, foi descoberto em uma área de proteção ambiental no último fim de semana. A fiscalização chegou à área desmatada após de denuncias de incêndios no local, que fica a cerca de cinco quilômetros da zona urbana da cidade. Conforme informações do G1, aproximadamente 126 metros cúbicos de madeira foram encontrados no local e, segundo a prefeitura, o material será doado. A prefeitura de Ibicoara informou que a área desmatada fica dentro de uma propriedade privada. Os proprietários estão sendo procurados.

Fonte: Agora Sudoeste

Com desemprego recorde, Banco do Brasil demite 5 mil funcionários

Com desemprego recorde, Banco do Brasil demite 5 mil funcionários

Na lista de privatizações do ministro da Economia, Paulo Guedes, o Banco do Brasil anunciou que irá fechar “361 unidades, sendo 112 agências, 7 escritórios e 242 Postos de Atendimento”. Por meio de um comunicado ao mercado assinado pelo vice-Presidente de Gestão Financeira e Relações com Investidores, Carlos José da Costa André, a instituição financeira afirma que disponibilizou planos de “demissão voluntária”, visando o desligamento de 5 mil funcionários. Segundo reportagem do jornal O Estado de S. Paulo, o “plano de reorganização” prevê  a otimização de 870 pontos de atendimento por meio do fechamento de agências, postos de atendimento e escritórios   e a conversão de 243 agências em postos. Também estão previstas a transformação de oito postos de atendimento em agências, de 145 unidades de negócios em Lojas BB, além da relocalização e 85 unidades de negócios e a criação de 28 unidades de negócios. A expectativa é que a adoção das medidas resultem em uma economia anual estimada em R$ 353 milhões ainda este ano.

Fonte: 97news

Crea-BA diz que fechamento da Ford vai gerar prejuízos incalculáveis

Crea-BA diz que fechamento da Ford vai gerar prejuízos incalculáveis

O fechamento da fábrica da Ford , anunciado na segunda-feira (11), trará aumento de desemprego para o Brasil, e agravará a situação da Bahia, onde a montadora possui fábrica na cidade de Camaçari. De acordo com a empresa, a pandemia do novo coronavírus e perdas de crises anteriores foram os motivos que levaram a multinacional a tomar a decisão pelo fechamento das fábricas na Bahia, São Paulo e Ceará. A Ford recebeu cerca de 20 bilhões de dólares no Brasil em incentivos fiscais desde 1999. “Pediu isenção fiscal e prometeu gerar empregos. A crise chega e simplesmente avisa o fechamento, sem compromisso com o país, com a Bahia”, afirma o presidente do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia da Bahia (Crea-BA),  eng. agrimensor Joseval Carqueija. O fechamento trará grandes prejuízos para o Estado, em um momento que a engenharia já enfrenta perdas em diversos segmentos. “É preocupante, pois já estamos sofrendo com perda de postos de trabalho, profissionais sem perspectivas de emprego. Enquanto estamos pensando em ampliar e buscar alternativas para geração de emprego e renda para a Bahia, somos surpreendidos com o fechamento de uma fábrica que emprega tantos profissionais”, pondera o presidente. Carqueija destaca ainda que a Ford gera atividades econômicas, desde emprego aos profissionais das engenharias a fornecedores, prestadores de serviço, além de empresas que dão suporte a operação. São cerca de cinco mil pessoas que atuam em todo Brasil, “é um prejuízo incalculável”, afirma. O presidente, que tomou posse no Crea-BA no último dia 04 de janeiro, já havia sinalizado que a gestão atual trabalharia junto aos legisladores tanto no âmbito estadual, quanto em Brasília, para defender a soberania da engenharia, “agora, mais do que nunca, é urgente pensarmos em soluções para gerarmos emprego para os nossos profissionais. É necessário o envolvimento de todos neste processo”. Ele finaliza afirmando que, “enquanto o país não tiver tecnologia de ponta para ser competitivo na indústria automática, sofrerá com a falta de soberania”. 

Fonte: 97news

Por melhoria das condições e do salário, técnicos de enfermagem do INEB pedem valorização da categoria, décimo terceiro e férias vencidas

Por melhoria das condições e do salário, técnicos de enfermagem do INEB pedem valorização da categoria, décimo terceiro e férias vencidas

Uma mobilização pela valorização da enfermagem em Brumado, reuniu alguns colaboradores, em frente ao Instituto de Nefrologia da Bahia, localizado na Avenida João Paulo I, na manhã do último sábado (09) em Brumado. A categoria chamou a atenção por melhores condições de trabalho, melhoria nos salários e pagamentos de décimo terceiros do ano de 2015 e 2020. Além disso, férias que estariam vencidas. Uma das reivindicações da categoria é em referência ao salário. Segundo dados passados ao site 97NEWS, um profissional de enfermagem recebe até R$ 4 mil reais para uma carga de 40 horas semanais, enquanto um técnico de enfermagem recebe de um salário mínimo até R$ 1.500 reais pelas mesmas 40 horas. O que a categoria pede é que profissional receba o que exigido por lei. Temendo represálias, as técnicas de enfermagem não quiseram falar com a reportagem, mas o 97NEWS ouviu pacientes que chegaram no INEB para o tratamento de hemodiálise e apoiaram a iniciativa das profissionais de saúde. Ao site, o paciente José Bispo frequenta a clínica há quatro anos e confirma que o Instituto só não está mais precário por conta das técnicas de enfermagem. “Eu acho que deve melhorar mais a parte deles [enfermeiras] pra melhorar pra nós também. Porque os médicos ai deixam a gente a Deus dará. É preciso melhorar as máquinas, eu vejo ai paciente passar mal por conta do calor”, contou Bispo. 

Por melhoria das condições e do salário, técnicos de enfermagem do INEB pedem valorização da categoria, décimo terceiro e férias vencidas

Outro paciente do município de Ituaçu que a 4 anos e seis meses também passa pelo tratamento de hemodiálise afirmou que as condições dos equipamentos são precárias. “As máquinas são muito velhas, dão muito defeito. As cadeiras em mal estado, a gente ver muita condição de trabalho errada, muito paciente para uma técnica só (...) elas trabalham no limite. Conforto para o paciente não tem. O médico só chega ai no horário de nove horas, logo no primeiro horário que é às seis da manhã não tem. Elas estão reivindicando melhorias tanto pra elas, quanto pra gente”, disse Keisson morador do distrito de Tranqueiras, em Ituaçu. A reportagem tentou falar com a direção do Instituto de Nefrologia da Bahia (INEB), mas obtivemos a resposta que o representante só iria se manifestar na próxima terça-feira (12).

Fonte: 97news

Ford fecha fábricas e encerra produção no Brasil; filial da Bahia também fechará

Ford fecha fábricas e encerra produção no Brasil; filial da Bahia também fechará

A Ford decidiu fechar três plantas de produção no Brasil, nesta segunda-feira (11). No país, serão mantidos apenas o Centro de Desenvolvimento de Produtos, em Camaçari, que terá sua fábrica fechada, e o Campo de Provas e sua sede regional, ambos em São Paulo. Os veículos comercializados no mercado brasileiro passam a ser produzidos nas plantas na Argentina e Uruguai, além de importações de outras regiões. “A Ford está presente há mais de um século na América do Sul e no Brasil e sabemos que essas são ações muito difíceis, mas necessárias, para a criação de um negócio saudável e sustentável”, disse Jim Farley, presidente e CEO da Ford. “Estamos mudando para um modelo de negócios ágil e enxuto ao encerrar a produção no Brasil, atendendo nossos consumidores com alguns dos produtos mais empolgantes do nosso portfólio global", disse a empresa em comunicado. A empresa também disse que atenderá a região com seu portfólio global de produtos. "A Ford mantém assistência total ao consumidor com operações de vendas, serviços, peças de reposição e garantia para seus clientes no Brasil e na América do Sul. A empresa também manterá o Centro de Desenvolvimento de Produto, na Bahia, o Campo de Provas, em Tatuí (SP), e sua sede regional em São Paulo", acrescenta.

Fonte: 97news

'Fest Off': Carnaval e São João na Bahia só devem acontecer a partir de 2022, declara secretário de Cultura da Bahia

'Fest Off': Carnaval e São João na Bahia só devem acontecer a partir de 2022, declara secretário de Cultura da Bahia

O secretário de Turismo da Bahia, Fausto Franco, não vê possibilidade de realização de festas tradicionais na Bahia, como o São João, o Carnaval e as festas de largo em 2021. A folia de momo em Salvador já foi cancelada neste ano, mas especulações sobre a realização da festa em outra data vêm sendo levantadas. O prefeito da cidade, Bruno Reis (DEM), já afirmou que considera a possibilidade de realização em julho, caso a vacina contra a Covid-19 já esteja disponível.

Já Franco lamenta, mas afirma que é pouco provável que as festas ocorram da maneira como todos conhecem, com aglomeração de pessoas. Fausto foi o entrevistado desta segunda-feira (11) no Bahia Notícias no Ar, na rádio Salvador FM 92,3.

O turismo é parcela importante da economia baiana. A pasta do setor e a da Fazenda ainda não fecharam os cálculos, mas Fausto adiantou durante a entrevista que os prejuízos pela não realização do Carnaval, por exemplo, passam de R$ 1 bilhão. Em relação a toda a pandemia o número é muito maior. 

O setor de turismo foi um dos mais afetados pela pandemia da Covid-19. Foi um dos primeiros a parar, teve serviços suspensos por meses, e agora retoma aos poucos, mas sofre com baixos números se comparados a anos anteriores.

Apesar do impacto causado pela pandemia, Fausto Franco considera que em dezembro e nesse início de janeiro o setor de turismo da Bahia apresenta bons números e dá sinais de recuperação. “Teve um bom fim de ano, apesar das aglomerações que muita gente insiste em fazer. Mas a ocupação foi boa. As pessoas não puderam viajar pro exterior, além da pandemia e o medo tem a alta do dólar. Além disso somos o estado do Nordeste mais próximo do eixo Rio – São Paulo, então a gente teve um dezembro e vai ter um janeiro bom, mas muito aquém de outros anos”, disse Fausto.

O secretário ainda citou que na Bahia houve até o momento 80% de recuperação de voos.

Fonte: Brumado Urgente